Tapetes de Arraiolos

Breve história: Os Tapetes de Arraiolos são originários da vila de Arraiolos, sendo o seu início um mistério para todos, incluindo académicos. A referência mais antiga de que se tem conhecimento onde é mencionado um Tapete de Arraiolos é do final do século XVI. Os tapetes tiveram o seu período áureo no século XVII e XVIII. Depois durante o século XIX houve uma decadência e a produção parou, reaparecendo em 1916 na sequência de uma exposição de Tapetes de Arraiolos no Convento do Carmo, em Lisboa, organizada pelo ilustre pintor arraiolense Dordio Gomes. Só depois de 1974 surgiram algumas dezenas de lojas que reproduziam tapetes antigos e algumas procurando alguma inovação. Chegados ao século XXI, apenas algumas dessas lojas sobreviveram. 

Como gostamos imenso dos Tapetes de Arraiolos e reconhecemos a sua reputada qualidade, na Alentejo Heritage investimos numa pequena produção onde apostamos numa linha de tapetes que respeite o que consideramos ser a tradição do tapete (ponto, fundo, barra e franja, decoração dos motivos) com criação de desenhos novos inspirados em motivos regionais, numa tentativa de juntar sobriedade, contemporaneidade e inovação.

Por último, queremos referir que, uma vez que não há nenhum tipo de certificado que garanta que um tapete de Arraiolos é bordado no local, decidimos identificar a bordadeira de cada um dos nossos tapetes, como prova de autenticidade, dando vida aos nossos valores como a sustentabilidade que consagram uma aposta séria no artesanato genuíno e nas pessoas que detêm esses saberes.

©2020 by Alentejo Heritage
RNAAT: 2062/2018 - Turismo de Portugal